Leitura

Livro: A Bibliotecária de Auschwitz

Livro: A Bibliotecária de Auschwitz
Autor: Antonio G. Iturbe
Editora: Agir
Páginas: 368
(5/5)
A-Bibliotecária-de-Auschwitz11-686x1024

SINOPSE:
Muitas histórias do horror e sofrimento testemunhados dentro dos campos de concentração nazistas são contadas e recontadas, já estão gravadas e arquivadas. É difícil, nesses relatos, encontrar atos de esperança e força diante de todo o mal registrado durante o Holocausto.

A Bibliotecária de Auschwitz é um livro diferente. É uma história verdadeira e cheia de detalhes a respeito de um professor judeu, Fredy Hirsh, que criou uma escola secreta dentro do bloco 31, no campo de concentração de Auschwitz, dedicando-se a lecionar para cerca de 500 crianças. Criou também uma biblioteca de poucos volumes com a ajuda de Dita Dorachova, uma menina judia de 14 anos que se arriscava para manter viva a esperança trazida pelo conhecimento e escondia os livros embaixo do vestido. É um registro de uma época sofrida da história, mas que também mostra a coragem de pessoas que não se renderam ao terror e se mantiveram firmes usando os livros como “arma”.

MINHA OPINIÃO:
O livro é extremamente envolvente e marcante, demonstrando em cada uma de suas páginas a luta pela vida enfrentada pelos refugiados na Segunda Guerra Mundial. São muitos detalhes verídicos que nos levam a sentir na pele o cotidiano e o sofrimento dos refugiados e nos fazem refletir em como a vida é breve e como pequenas ações podem tranformar as pessoas e o mundo (para melhor ou para pior).

A escrita é simples e narrada pela visão de diversos personagens, sendo a protagonista principal a Dita Dorachova, uma jovem tcheca de 14 anos. Logo após chegar ao campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, Dita recebeu o desafio de cuidar e administrar a biblioteca do Bloco 31, que era constituída por 8 livros impressos e mais alguns vivos, ou seja, narrados por pessoas que praticamente decoraram as obras. Esse desafio carregava um risco muito grande, uma vez que a aprendizagem e a leitura eram atos proibidos pelos alemães.

A história passa por Auschwitz-Birkenau (campo de concentração localizado no sul da Polônia) e posteriormente por Bergen-Belsen (campo de concentração na Alemanha), terminando com a libertação do campo pelas tropas inglesas e com o fim da Segunda Guerra Mundial.

Grande parte do livro é triste, afinal, são relatos de guerra. Mas é impressionante como no meio da tristeza ainda havia esperança e amor – e claro, livros e aprendizagem.

O que também merece destaque é o anexo final do livro, que mostra o que aconteceu com alguns personagens verídicos da história após a guerra.

Recomendo a todos a leitura desse livro, um dos melhores que eu já li.

ALGUNS TRECHOS:
“Auschwitz não mata só os inocentes, mas também a inocência.”

“Naquele lugar tão escuro em que a humanidade chegou a alcançar a própria sombra, a presença dos livros era um vestígio de tempos menos lúgubres, mais benignos, quando as palavras ressoavam mais do que as metralhadoras.”

“Cada vez que alguém se detiver num canto para contar algo e algumas crianças se sentarem ao redor para escutar, ali terá sido fundada uma escola.”

“O que a literatura faz é o mesmo que acender um fósforo no campo no meio da noite. Um fósforo não ilumina quase nada, mas nos permite ver quanta escuridão existe ao redor.”

“Dita ergue a cabeça, e seu rosto, suas mãos e seu vestido ficam salpicados de minúsculos flocos cinzentos que se desfazem entre os dedos. As habitantes do bloco 31 saem para ver o que há.
– O que está acontecendo? – pergunta uma menina assustada.
– Não tenham medo – diz Miriam Edelstein. – São nossos amigos do transporte de setembro. Eles estão voltando.”

Dita-Kraus_Jovem1-196x300
Dita em sua juventude durante a Segunda Guerra Mundial.

 

Dita-Kraus-20071
Dita em 2007, 62 anos após a Guerra.
Anúncios

6 comentários em “Livro: A Bibliotecária de Auschwitz

    1. É muito triste e chocante ver o tanto de coisas ruins que os refugiados passaram… Mas vale a pena para entendermos melhor essa parte da guerra e a não reclamarmos de tudo, afinal outras pessoas podem estar passando por coisas muito piores que a gente…

      Curtir

    1. Prende bem a atenção mesmo, não dá vontade de parar de ler. E é incrível como em uma época tão triste de guerra ainda existiam pessoas que transbordavam amor e esperança. Vale a leitura 🙂 Beeijos, flor!

      Curtir

    1. Eu também adoro! Vale a pena para entendermos melhor essas partes da história contadas por vários lados.
      E o livro é marcante mesmo… Livros assim nos dão uma lição de vida para pararmos de reclamar de coisas mínimas, já que outras pessoas estão passando por situações muito piores que as nossas…
      Obrigada pelo comentário! 🙂

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s